HoloLens ficção científica

Cinema, TV, literatura e tantas outras obras culturais estão constantemente a apresentar-nos vários aparatos tecnológicos incríveis e atraentes. Carros voadores, computadores com capacidades quase humanas e dispositivos que constroem realidades alternativas são alguns exemplos. Então prepare-se, porque, daqui a pouco tempo, algumas dessas invenções podem fazer parte do seu dia-a-dia, sendo que várias já estão quase a ser lançadas.

Conheça três tecnologias que parecem ficção científica mas que estão prestes a tornarem-se realidade.

Realidade virtual

Realidade virtual

Realidade aumentada, realidade virtual e projeções holográficas interativas são tecnologias presentes em quase toda a ficção científica. Durante muito tempo, empresas tentaram desenvolver dispositivos que se apropriassem dessas tecnologias com qualidade, mas sem sucesso. Pelo menos por enquanto, uma vez que óculos que possibilitam a visão de um mundo integrando o real e o virtual deverão estar ao alcance dos consumidores muito em breve, tendo como destaque: o HoloLens, da Microsoft, o Project Morpheus, da Sony, e o Vive, headset de realidade virtual criado pela HTC em parceria com a Valve. Saiba um pouco mais sobre esses óculos do futuro:

 

Project Morpheus

Project Morpheus Playstation

O projeto da Sony é focado na diversão, tendo sido pensado para os gamers, como um acessório (de luxo, é verdade) para a PlayStation 4. O Project Morpheus trata-se de uns óculos de realidade virtual que inserem o jogador num mundo totalmente imersivo e interativo. Essa interação ocorre através dos movimentos corporais do utilizador e, também, através dos comandos da PS4. O projeto deve chegar ao mercado no primeiro semestre do ano que vem.

 

HTC Vive

HTC Vive

O HTC Vive é outro headset de realidade virtual voltado para o entretenimento. Os óculos, que serão lançados no final deste ano, são um dos mais avançados no que diz respeito à imersão do jogador, embora deixem a desejar em termos de conforto e praticidade. O gadget da HTC e da Valve tem sensores de movimento (que devem ser instalados na parede e nos seus controlos), dando mais precisão aos movimentos do jogador. No entanto, esses sensores tornam o equipamento menos independente e limitam a movimentação do usuário.

 

HoloLens

HoloLens Microsoft

O HoloLens possui uma CPU, uma GPU e um processador holográfico criados exclusivamente para o dispositivo. O aparelho promete integrar a realidade com projeções gráficas de alta definição, possibilitando uma nova forma de entretenimento interativo. No campo profissional, alguns dos usos apontados pela Microsoft seriam nas áreas de arquitetura, design de produtos e até na medicina. O seu desenvolvimento ainda está num estágio inicial, mas a expectativa é de que o gadget chegue ao mercado dentro do “período de vida” do Windows 10, segundo a Microsoft.

 

Carros inteligentes

Carros inteligentes

Infelizmente, carros voadores ainda estão longe da sua garagem… mas, brevemente, você irá parar na estrada e, ao seu lado, estará um carro sem motorista. Projetos de carros autónomos têm sido desenvolvidos por diversas empresas nos últimos anos, entre elas, grandes fabricantes automóveis, como a BMW, Mercedes e Cadillac. Mas quem está mais próximo de um carro que se movimenta sozinho é uma empresa de tecnologia: a Google. O veículo da empresa de Menlo Park tem dois assentos e não tem volante, pedal de acelerador nem de travão. O passageiro entra no carro, pressiona o botão iniciar, diz para onde pretende ir e o carro desloca-se sozinho. A expetativa da Google é de que os carros autónomos sejam uma realidade até 2018.

 

Computadores que aprendem

Computadores que aprendem

O futuro dos supercomputadores não será apenas de upgrades na capacidade de processamento e armazenagem de dados. Estas máquinas darão um passo além: irão elaborar, analisar e contextualizar a informação, quase como um ser humano. Computadores que “aprendem” e possibilitam novas formas de compreender dados, em breve, sairão dos filmes de ficção científica para se tornarem realidade. O mais notável desses computadores é o projeto Watson, da IBM. A supermáquina consegue processar um grande volume de dados e descobrir padrões nesse aglomerado de informação, extraindo, assim, vários tipos de conhecimento. A inteligência do Watson pode servir de base para uma série de dispositivos altamente capazes de interpretar dados e extrair informações dos mesmos.

 

Até há bem pouco tempo atrás, estas três tecnologias pareciam estar apenas ao alcance da imaginação, mas, num futuro bastante próximo, podem fazer parte do nosso quotidiano. Só resta esperar (ansiosamente!) para ver estas inovações tornarem-se realidade.

 

Artigo da autoria de: Cinco TI