O Armadillo-T é um carro elétrico que é capaz de se dobra e ficar com quase metade do seu tamanho original após ordem do condutor. Este veículo foi concebido a pensar no tráfego das grandes cidades e é uma proposta do instituto sul-coreano de ciência e tecnologia (KAIST), que desenvolveu um protótipo sem saber se chegará à produção automóvel.

Para que o Armadillo-T fique com um tamanho mais reduzido, o veículo tem uma ligação ao smartphone do condutor, de onde recebe a indicação para “encolher”. Depois de receber a informação para “encolher”, a traseira junta-se à frente, criando uma espécie de esfera. Segundo os responsáveis sul-coreanos, o Armadillo-T, quando fechado, fica com aproximadamente metade do seu tamanho inicial.

Armadillo-T, antes e depois da "transformação".

Armadillo-T, antes e depois da “transformação”.

 

Autonomia

Quanto à autonomia, este veículo elétrico, tem a capacidade de andar cerca de 100 quilômetros apenas com um carregamento de bateria, que dura aproximadamente 10 minutos a realizar-se.

Armadillo-T depois da ordem para "encolher" dada pelo estudante.

Armadillo-T depois da ordem para “encolher” dada pelo estudante.

 

Utilidade

Suh In-soo, do KAIST, que liderou a concepção da viatura, destaca que o Armadillo-T «pode ser estacionado em qualquer cantinho na rua ou nos edifícios, seja apartamentos, centros comerciais ou supermercados».

Parece realmente algo ideal para quem vive numa grande cidade. Contudo, a produção em série do carro é para já uma miragem porque,  na Coreia do Sul, onde foi desenvolvido, está proibido de andar na via pública. Tudo porque, apesar de econômico, prático e facilmente estacionável, o Armadillo-T é pouco resistente ao impacto, ou seja, não é legalizado por uma questão de segurança, pelo menos para já.

Armadillo-T "encolhendo" e estacionando.

Armadillo-T “encolhendo” e estacionando.

 

Como foi construído

Para permitir que o veículo se dobre, Suh teve que dispensar os retrovisores, solucionando o problema com pequenas câmaras instaladas na traseira, que mostram as imagens num ecrã junto ao volante.

Um sistema informático baseado em Windows está instalado no carro, permitindo ao Armadillo-T comunicar com o smartphone do condutor, possibilitando, por exemplo, o estacionamento automático da viatura.

O interior do Armadillo-T, onde se pode reparar no ecrã central e na falta dos retrovisores laterais.

O interior do Armadillo-T, onde se pode reparar no ecrã central e na falta dos retrovisores laterais.

 

O nome

“Armadillo-T” foi o nome escolhido para este carro e que em português significa tatu, devido às semelhanças do veículo com o animal.

Este veículo compacto de dois lugares poderá nunca chegar à linha de produção, mas foi apresentado como parte de uma iniciativa de desenvolvimento de viaturas «amigas do ambiente» para espaços urbanos.

As parecenças do Armadillo-T com um Tatu

As parecenças do Armadillo-T com um Tatu.

 

Aqui estão mais algumas imagens do Armadillo-T:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Se gostou deste artigo, subscreva a nossa Newsletter para receber as últimas novidades do mundo da tecnologia no seu email!