IBM logo

Nesta quinta-feira (7), foi apresentado, pela IBM, o mais recente microprocessador da companhia, chamado TrueNorth. Este processador, por mais incrível que pareça, dispensa cálculos matemáticos como forma de resolução de problemas. Segundo a IBM, o TrueNorth tem como objetivo, simular a forma como o cérebro humano resolve diversas situações.

O chip TrueNorth é mais um passo da tecnologia rumo à superação da arquitetura Von Neumann!

A função principal do TrueNorth é trabalhar com ações em tempo real, ou seja, dispensar cálculos matemáticos e focar-se em analisar o ambiente e lidar com ambiguidades em um curtíssimo espaço de tempo, assim como um ser humano faria. Segundo o gerente da IBM, Dharmendra Modha, a eficiência energética do TrueNorth é uma das melhores do mundo, já que o chip não necessita de fazer tantos cálculos pesados durante uma ação.

O revolucionário processador da IBM contém 5,4 bilhões (mil milhões) de transístores, o maior número que a companhia já conseguiu colocar em um só chip. O TrueNorth possui ainda 1 milhão de neurônios e 245 milhões de sinapses programáveis. Mesmo sendo baseado em um cérebro humano, o microprocessador nem chega perto dos 100 trilhões de sinapses de um real.

O processador tem tido bastante destaque por dar um grande passo rumo a superação da arquitetura de Von Neumann, que é usada em praticamente todos os computadores desde o início da década de 50, trabalhando com cálculos e códigos para o processamento. Com o TrueNorth, uma máquina poderia, facilmente, pensar de forma autónoma, como um homem.

TrueNorth IBM

Modha destacou ainda algumas das características mais interessantes do TrueNorth. Mesmo com bem menos sinapses que uma pessoa, o chip poderá equipar dispositivos que emitam alertas de tsunamis, controlem vazamentos de óleo, entre outras tarefas. Tudo isso, com um consumo de energia incrivelmente reduzido.

A IBM espera disponibilizar o TrueNorth, em primeiro lugar, a universidades ao redor do mundo e mais tarde, a clientes empresariais. O governo americano poderá vir a utilizar esta tecnologia em sistemas de segurança, já que a DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada) foi uma das investidoras do projeto TrueNorth.

Falando em máquinas de super processamento, o TrueNorth não é o único projeto impressionante desenvolvido pela IBM. Em 2011, o supercomputador Watson chegou a vencer um programa de perguntas e respostas e atualmente está a ser usado por médicos e especialistas no combate ao cancro.

A companhia ainda não tem previsão de lançamento do chip no mercado. O processador está ainda em fase de testes e a ser melhorado, sendo que ainda haverá um longo caminho até à disponibilização desta tecnologia para todas as pessoas.

 

Se gostou deste artigo, subscreva a nossa Newsletter para receber as últimas novidades do mundo da tecnologia no seu email!