Social commerce, o comércio nas redes sociais, é a nova tendência

social commerce

Não é mais segredo para ninguém que o comportamento dos consumidores mudou (e continua em constante evolução) com o passar do tempo. A principal responsável por isso foi a internet, que abriu portas para que as empresas pudessem ser ativas também no mundo digital. No entanto, foi com a popularização das redes sociais que as empresas começaram a ter um diálogo mais próximo e humanizado com seus clientes, criando novas experiências e formas de interagir com seus diferentes públicos.

De acordo com o relatório anual da Digital Global Overview Report, os brasileiros permanecem conectados à internet cerca de 10 horas por dia, contando computadores e smartphones. Com isso, o uso do e-commerce também cresceu! Cerca de 77% dos internautas dizem fazer pelo menos uma compra online por mês, principalmente em tempos de isolamento social.

Levando em consideração esse novo comportamento dos consumidores, a presença digital das empresas e a massiva utilização das redes sociais, surge um uma nova possibilidade de ganhar público e vender mais: a estratégia do Social Commerce.

Mas o que é Social Commerce?

A ideia do Social Commerce é integrar as redes sociais da empresa com seu e-commerce, de modo que os usuários interajam com o conteúdo oferecido, sejam atendidos em tempo real e avaliem os produtos à venda. Várias lojas já têm seus e-commerce dentro do Instagram, por exemplo, e uma publicação de divulgação de linha de roupas pode se tornar uma ponte direta para a compra.

Essa é uma técnica que vem crescendo no mundo digital, principalmente na Ásia, com as grandes lives de vendas. No Brasil, temos grandes exemplos do bom aproveitamento do Social Commerce, como o Magazine Luiza e as Lojas Americanas fazendo lives na Black Friday, com divulgações e promoções ao vivo. Empresas menores que divulgam ações, promoções e fazem interação com os clientes pelo WhatsApp também são outro exemplo de uso do Social Commerce, mesmo que de forma básica.

Outro ponto positivo do Social Commerce é a diminuição do gasto. Em vez de se investir em uma campanha publicitária grande e cara, os efeitos virais dos conteúdos das redes sociais com o público podem substituir esse engajamento, custando menos ao bolso da empresa.

Esse é um processo que aproxima a empresa do público e facilita o entendimento da jornada do consumidor e de como ele têm se comportado, já que a marca dialoga diretamente com os internautas.

social commerce

Por onde começar?

É preciso unir a criatividade para criar ações que interajam com o público, implementar formas de integrar as redes sociais com o e-commerce. Capacitar os funcionários para o mundo omnichannel.

Grandes empresas têm se adaptado a esse método, mostrando que se aproximar, entender o público e deixá-lo fazer parte da sua estratégia de vendas tem sido um ótimo caminho, principalmente para as do ramo de varejo, que já modela campanhas que permeiam essa nova tendência das redes sociais.

Leia também

Redes sociais: em qual minha marca deve investir esse ano?

Confira as 5 últimas atualizações do Facebook e do Instagram