Uber e Airbus querem construir táxi voador

Há algum tempo que as empresas Uber e Airbus têm a ideia de tomar os céus como parte dos seus negócios através do chamado Táxi aéreo com carros voadores.

A plataforma de ride-sharing Uber segue firme e forte nos seus planos para concretizar o sonho dos táxis aéreos em conjunto com o projeto Vahana da Airbus.

Arne Stoschek, da Airbus, explicou durante uma conferência da NVIDIA, que a empresa acredita que os veículos do futuro voadores podem ser uma realidade bastante próxima e que serão a solução para os congestionamentos que existem nas grandes cidades.

Um dos maiores desafios que vai ter de ser superado é que as máquinas voadoras deverão ser elétricas e autónomas.

Uber

A empresa Uber lançou um documento onde descreve os seus planos para disponibilizar carros voadores ao público até 2026.

O cofundador da Google, Larry Page, também está no ramo dos carros voadores e está a financiar um projeto para contruir um carro voador através de uma startup chamada Zee.Aero, cujo protótipo já foi visto em ação no  aeroporto de Hollister.

Airbus

A Airbus, que tem um grande legado na construção de aeronaves civis, quer aproveitar este nicho prestes a explodir e também está a desenvolver o seu próprio carro voador, como parte do Projeto Vahana.

A experiência que a Airbus possui no mercado da aviação poderá ser uma vantagem em relação às outra empresas que pretendem contruir carros voadores. O Projeto Vahana está a ser desenvolvido em Silicon Valley e é conhecido por A³.

Os grandes empresários estão a perceber que os carros voadores são uma realidade cada vez mais próxima e procuram obter um pedaço deste novo mercado para poderem expandir os seus negócios. Existem até algumas empresas que não pretendem construir apenas um carro voador, mas um que seja híbrido, ou seja, que voe e ande sobre terra.

O projeto A³, da Airbus, juntamente com os planos da Uber, não são focados em um carro totalmente voador, mas sim em aeronaves VTOL (“Vertical Take-Off and Landing”), que são capazes de levantar voo e aterrar na vertical. Isto significa que estas aeronaves não precisam de uma pista para levantar voo e para aterrar, tal como um helicóptero.

Objetivos dos projetos

O supervisor do projeto Vahana, Zach Lovering, disse que a Airbus pretende ter a sua aeronave VTOL em produção dentro de quatro anos.

A aeronave do Projeto Vahana será um avião elétrico, com capacidade para 1 passageiro e com oito rotores. Este projeto promete ainda que os carros voadores tenham uma velocidade 2 vezes superior à dos veículos convencionais de hoje em dia e que possam alcançar uma altitude de aproximadamente 300 metros.

Zach disse ainda que a aeronave estará equipada com radares e câmeras, ou seja, a mesma tecnologia utilizada em muitos carros atuais que possuem algum tipo de condução autónoma. Estes sensores serão usados para que a aeronave se possa desviar com segurança da sua rota de voo caso um obstáculo se encontre no seu caminho.

Obstáculos aéreos

Existem alguns obstáculos que terão de ser ultrapassados quando os veículos estiverem finalmente prontos para ocuparem os céus, sendo que o maior deles será a gestão do espaço aéreo. O mais provável é que seja necessário criar empresas aéreas de segurança para assegurarem essa administração.